No passado dia 5 de outubro, o arcebispo português D. José Tolentino Mendonça foi criado cardeal por Sua Santidade o Papa Francisco, juntamente com mais doze cardeais, na Basílica de São Pedro, Vaticano. Na ocasião o Sumo Pontífice impôs-lhes o respetivo barrete cardinalício.

Depois desta imposição os treze cardeais foram cumprimentar um a um os seus pares presentes – cerca de 90 - do colégio cardinalício e o Papa emérito Bento XVI.

Delegações oficiais civis e religiosas vieram em especial dos países da proveniência dos novos cardeais. A delegação oficial portuguesa foi chefiada pela ministra da Justiça, Dra. Francisca Van Dunem e incluiu ainda o presidente do Governo Regional da Madeira, Dr. Miguel Albuquerque e a secretária do Conselho de Estado, Dra. Rita Magalhães Colaço, além do embaixador de Portugal junto da Santa Sé e restante pessoal diplomático da embaixada.

Presentes ainda o patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, o bispo de Leiria/ Fátima, D. António Marto, o bispo do Funchal, D. Nuno Braz, o bispo de Bragança/Miranda, D. José Cordeiro e os bispos eméritos do Funchal, D. Teodoro de Faria e D. António Carrilho.

O clero português que presta serviço em Roma esteve também presente, nomeadamente o bispo D. Carlos Azevedo, delegado do Pontifício Conselho da Cultura e o Padre Nuno Silva Gonçalves, reitor da Pontifícia Universidade Gregoriana, além do reitor do Pontifício Colégio Português, padre José Alfredo Patrício e o reitor da Igreja de Santo António dos Portugueses em Roma, monsenhor Agostinho Borges.  

D. José Tolentino de Mendonça é o quinto prelado português a integrar o atual Colégio Cardinalício – nunca antes Portugal tinha tido cinco membros coetâneos neste órgão de topo da hierarquia vaticana - e o segundo mais jovem.

Biblista de formação, investigador, poeta e ensaísta, D. José Tolentino de Mendonça nasceu no Machico, na Madeira, em 1965. Em 1989 licencia-se em Teologia na Universidade Católica Portuguesa, publicando nesse ano a sua primeira recolha de poemas, Os Dias Contados. Em 1990 é ordenado padre da diocese do Funchal. Em 1992 recebe o título de Mestre em Ciências Bíblicas pelo Pontifício Instituto Bíblico e em 2004 o de Doutor em Teologia Bíblica pela Universidade Católica Portuguesa.

Foi padre na Paróquia de Nossa Senhora do Livramento no Funchal entre 1992 e 1995. Em  Lisboa foi capelão durante 5 anos na Universidade Católica Portuguesa, assistiu na paróquia de Santa Isabel e, de 2010 até 2018 foi reitor da Capela de Nossa Senhora da Tranquilidade, mais conhecida por Capela do Rato.

Foi ainda Reitor do Pontifício Colégio Português, em Roma, diretor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa e diretor do Secretariado Nacional de Pastoral da Cultura, da Igreja Católica em Portugal e finalmente vice-reitor da UCP.

Em fevereiro de 2018 pregou, a convite do Santo Padre, o retiro quaresmal da Cúria romana e, 26 de junho de 2018 o Papa Francisco nomeou-o Arquivista e Bibliotecário da Santa Romana Igreja, elevando-o à dignidade de arcebispo. Em 5 de outubro de 2019 é criado cardeal diácono do título de Santos Domingos e Xisto (igreja romana que lhe foi atribuída nos termos do direito canónico).

 

Em anexo, as fotografias do consistório e da receção oferecida no mesmo dia, na Embaixada de Portugal:

 

1ª fotografia: a imposição pelo Papa Francisco do barrete cardinalício a D. José Tolentino de Mendonça

Cardeal José Tolentino de Mendonça

 

2ª fotografia: da esquerda para a direita, o Cardeal D. Manuel Clemente, Patriarca de Lisboa, o Cardeal D. António Marto, bispo de Leiria/Fátima, o Cardeal D. José Tolentino de Mendonça e o Cardeal D. José Saraiva Martins, prefeito emérito da Congregação para as Causas dos Santos.

Cardeais

 

 

3ª fotografia: da esquerda para a direita, o Cardeal D. Manuel Clemente, a Ministra da Justiça, Dra Francisca Van Dunem, o Cardeal D. José Tolentino de Mendonça, o Cardeal D. José Saraiva Martins, o Prof .Doutor Eduardo Paz Ferreira e o Cardeal D. António Marto.

 Cardeais e Ministra da Justiça

 

 

  • Partilhe